Categorias
Uncategorized

Google Marketing: O que é e o que tem nele?

O Google está tão dentro da sua rotina que você deve nem fazer ideia de quantas vezes entra nele por dia para fazer pesquisas. Você pode, inclusive, ter chegado até esse artigo em uma das suas buscas. Mas até onde vai esse conhecimento, você sabe o que é Google Marketing?

Já ouviu falar sobre Google Data Studio ou Google Tag Manager? E Google Analytics? Google Ads? Hoje, vamos falar desvendar o Google Marketing para você. Se você trabalha com marketing você precisa ler esse artigo até o final.

O que é Google Marketing?

É o conjunto de soluções do Google para marketing, na prática, isso significa que o Google criou ferramentas para facilitar o trabalho, a rotina, do profissional de marketing. Agora, vamos falar de algumas ferramentas que fazer parte dessas soluções.

1- Google Analytics

É uma ferramenta para monitoramento de site. Com o Google Analytics, você consegue ter acesso a um grande volume de dados sobre os usuários do seu site, desde quem são até o que eles compraram. É uma ferramenta que ajuda a entender tudo que está dentro do seu site. Leia mais!

2- Google Trends

Ferramenta de análise de tendências do Google. Serve tanto para Google Search (em pesquisas feitas na busca do Google), quanto para YouTube.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Desvendando o Google Marketing o que é e o que tem nele” ou apertar o play abaixo.

3- Google Search Console

Ajuda no monitoramento do ecommerce, perante ao Google, no quesito Seo. Com essa ferramenta, você consegue ver as palavras-chave em que o seu site está aparecendo no Google e qual o volume de pessoas que estão vendo o site através dessas palavras-chave. Além disso, é possível ver qual é a posição que o seu site está aparecendo na busca.

4- Google Ads

É a ferramenta que te possibilita anunciar no YouTube, Google, Rede de Display e até fazer campanha da remarketing. Leia mais!

 5- Google Tag Manager

É a ferramenta de gerenciamento de tags, pixels, códigos, do Google. Ela foi feita para profissionais que não são desenvolvedores. Além disso, o Google Tag Manager vai te ajudar a instalar códigos de publicidade (Facebook/ Google Ads) e de ferramentas para monitoramento do comportamento do seu consumidor (Google Analytics e o Hotjar).

6- Google Data Studio

Permite gerenciar o seu negócio de forma integrada. Nessa ferramenta, você consegue conectar dados das outras ferramentas Google para montar uma apresentação visual do seu negócio. Além disso, é possível automatizar para ele atualizar todos os dias e programar disparos de email com o dashboard, criado no Data Studio, via anexo em pdf.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Quer se preparar para ingressar no mercado de ecommerce? Confira no link o nosso curso!

https://bit.ly/3cFhcYl

Tem dúvidas sobre essas ferramentas do Google Marketing? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Rede de Display: Vale a pena fazer anúncio?

Já teve experiência com o Google Ads? Conhece os formatos que a plataforma disponibiliza? No artigo de hoje falaremos sobre o que é essa ferramenta e como funciona. Como ela faz parte do dia a dia do profissional de ecommerce, caso queira trabalhar na área que mais cresce no Brasil, você precisará ter um conhecimento sobre Google Ads.

Antes de falar sobre o que é Rede de Display e quando ela deve fazer parte da sua campanha. Vamos começar pela seguinte pergunta:

O que é Google Ads?

É a plataforma que usamos quando queremos anúncio no Google, lá é possível fazer anúncios de texto, imagem e vídeo. Há diferentes tipos de anúncios, entre eles temos  Rede de Pesquisa e Rede de Display.

O que é Rede de Display?

É um conjunto de site e aplicativos que cedem seus espaços publicitários para o Google.

Rede de Display x Rede de Pesquisa

Na Rede de Display, você anunciante não é o foco do usuário, pois ele está focado em consumir o conteúdo, onde está logado. Já a Rede de Pesquisa é totalmente voltada para atender a demanda do usuário. Os anúncios nessa mídia chamamos de reativos, porque estão reagindo a um estímulo inicial do usuário

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Vale a pena fazer anúncio na Rede de Display” ou apertar o play abaixo. Obs. No final do vídeo, o nosso especialista dá uma dica super importante.

Google AdSense x Rede de Display

AdSense é o serviço de publicidade do Google, onde os donos dos websites podem se inscrever no programa para exibir anúncios em texto, imagem e vídeo. Já a Rede de Display é um grupo de mais de dois milhões de websites, vídeos e aplicativos, onde seus anúncios do Google Ads podem ser exibidos de forma segmentada para públicos-alvo específicos.

Quando vale a pena usar?

Se o seu objetivo é venda imediata, você não deve focar nesse tipo de anúncio. Agora, se estiver pensando em algo a longo prazo vale a pena testar a funcionalidade Remarketing da Rede de Display.

O que é remarketing?

Sabe quando temos a sensação de que um produto ou marca está nos perseguindo? É o efeito causado pelo remarketing. É uma estratégia para gerar impacto novamente sobre alguém que já demonstrou interesse no produto, geralmente, aplicada por meio de campanhas para reativar os clientes da base e incentivá-los a tomar alguma ação.

Quer se preparar para ingressar no mercado de ecommerce? Confira no link o nosso curso!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Já conhecia o Google Ads? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Top 6 ferramentas para monitoramento de ecommerce

Trabalha com ecommerce ou tem vontade de trabalhar? Então, esse artigo é para você. Criamos uma lista com 6 ferramentas que todo profissional da área precisa saber para fazer o monitoramento do ecommerce.

1- Webflow e Hotjar 

 São ferramentas que servem para monitorar o comportamento do usuário no seu site. Algumas das funcionalidades dessas ferramentas são Video Recording, Pesquisa e Feedback.

O Video Recording serve para gravar a tela do usuário. Essa função fornece dados qualitativos que vão te ajudar a entender como as pessoas se comportam no seu site. Você consegue dentro desse recurso filtrar pessoas que saíram em uma determinada página do site, o que pode te ajudar a evitar evasões indesejadas.

Na funcionalidade Pesquisa, você consegue realizar uma pesquisa dentro do seu site, quando o usuário acaba de efetuar a compra. Você pode fazer perguntas como:

  • De 0 a 10, como foi a sua experiência no nosso site?
  • De 0 a 10, o que você achou das informações do nosso produto?

Após a realização da compra, é um momento maravilhoso para interagir com o usuário, pois ele está mega feliz. Você precisa aproveitar isso para entender o que pode melhorar no seu site.

O feedback é uma função que permite ao usuário te notificar sobre eventuais problemas encontrados no site, por exemplo, imagem não carregando.

2- Precifica e WebPrice

Ajudam no monitoramento do preço dos seus produtos e dos seus concorrentes. Além disso, ajuda a entender o seu estoque e do concorrente. Com esses dados em mãos, você pode realizar ações de marketing e vendas explorando os melhores diferenciais que possui frente aos seus concorrentes.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Top 6 Ferramentas para monitoramento de Ecommerce” ou apertar o play abaixo.

3- Pingdom Tools

Monitora se o seu site está ou não no ar. Ela possui versão gratuita e pro. Na versão Pro, você tem acesso a relatórios diários de caídas do site e é notificado na hora que seu site cai. Essa notificação pode ser por email, SMS e até mesmo mensagem do WhatsApp.

Além disso, a ferramenta também analisa o tempo de carregamento do seu site. Você consegue ter acesso a informações técnicas para entender o porquê seu site está rápido ou lento.

4- Google Analytics

Apesar de ser a ferramenta de monitoramento de site mais usada no mundo, no Brasil somente 2% dos sites utilizam. O Google Analytics possui uma versão gratuita que disponibiliza uma boa quantidade de dados para você entender sobre quem acessa o seu site e também conseguir acompanhar os resultados das suas campanhas de marketing.

Essas são algumas ferramentas que ajudam o trabalho do Analista de Ecommerce.

Tem interesse em aprender mais sobre essa profissão que está em alta no mercado?

Quer se preparar para ingressar no mercado de ecommerce? Confira no link o nosso curso!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Já usa alguma dessas ferramentas? Tem alguma outra que você acha incrível e não colocamos na lista? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Google Analytics: O que você precisa saber?

Não sabe usar ou tem muitas dificuldades com o Google Analytics… Dê um basta nesses empecilhos agora mesmo. Depois desse artigo, você vai se sentir mais confortável na hora de usar a ferramenta para mensurar a operação do seu ecommerce ou site. Confira algumas dicas valiosas!

1- O PIOR erro é abrir a ferramenta sem saber exatamente o que deseja.

O Google Analytics tem mais de 40 relatórios e se você não tem um objetivo em mente, acabará se perdendo na infinidade de dados que a ferramenta oferece. Lembre sempre que a ferramenta só dá dados, você que vai encontrar sentido para eles e disso gerar insights para futuras ações.

2- Anote perguntas

Não importa, se você vai usar o bloco de notas do celular, o Google Docs, Word, agenda física, o importante é anotar perguntas que você quer que a ferramenta responda. Esse levantamento vai ser o seu guia na hora de usar o Google Analytics.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “O que você precisa saber antes de abrir o Analytics” ou apertar o play abaixo.

3- Entenda a ferramenta 

O Google Analytics é dividido em métricas e dimensões. As métricas são números que você pode analisar informações e mensuram algo. Já as dimensões são as informações que você vai conseguir enxergar. Em cada relatório, teremos uma dimensão principal.

Situação hipotética: Você quer saber qual cidade gera mais acesso para o seu site. Qual dos relatórios abaixo iria ter essa informação?

A- Geográfico/local

B- Informações demográficas

C- Pesquisa

Acertou quem disse geográfico/local! Os nomes dos relatórios dizem exatamente o que você vai conseguir encontrar dentro deles.

4-  Ferramentas são meios dos processos

Elas não são fim do seu trabalho, mas o meio dele. Isso significa dizer que elas não vão entregar de mão beijada as respostas para os seus problemas. Para que ela te ajude, você precisa ser capaz de fazer a pergunta certa para obter a melhor resposta. 

Ferramentas oferecem apenas números, somos nós que transformamos os dados em informações para usarmos em nossas tomadas de decisões.

5- Divida o Google Analytics em quatro perguntas

Quem, como, o que e quanto. Essas perguntas são a base dos quatro relatórios do Google Analytics.

A- Público-alvo (quem)

Esse relatório vai mostrar quem são os seus usuários (dados demográficos- gênero, estado civil,etc).

B- Aquisição (como)

Vai mostra como as pessoas chegaram até o seu site. ( Instagram, Email marketing, Google Ads, etc)

C- Comportamento (o que)

Responde à pergunta o que os usuários fizeram no seu site.

D- Conversões (quanto)

Responde perguntas como: Quanto as pessoas compraram com você, quanto foi a receita, quais produtos foram vendidos, entre outros.

Nunca mais se sinta perdido no Google Analytics!!

Para isso é só seguir esse passo a passo:

Primeiro: Pontue suas dúvidas sobre a operação e crie perguntas em cima disso.

Segundo: Abra a ferramenta e tenha em mente as 4 perguntas principais (quem, como, o que e quanto) de cada um dos conjuntos dos relatórios.

O Google Analytics é uma das ferramentas que ensinamos no nosso curso Formação de Analista de Ecommerce.

 Conheça mais sobre o conteúdo do curso no link abaixo!

https://bit.ly/329cYSI

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal do YouTube Ecommerce Pro.

Tem dúvidas sobre Google Analytics? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Como é a rotina do Analista de Ecommerce?

Agitada e multidisciplinar. Essas duas palavras definem muito bem a rotina do analista de ecommerce. Esse profissional precisa conciliar diferentes tarefas de todas as áreas da operação do ecommerce dentro do seu horário de trabalho.

O fato de ter uma carga horária a ser cumprida não significa dizer que o analista vá trabalhar só aquele momento, pois o ecommerce é um negócio que funciona 24 horas e sete dias por semana.

Rotina do Analista se divide em: investigador e estrategista

O Analista precisa se dividir em dois papéis principais: investigador e estrategista. Quando está atuando como investigador, ele deve ser capaz de olhar a fundo os números apresentados, interpretá-los e transformá-los em informações.

Isso vai ser fundamental para a hora que ele assumir o papel de estrategista, pois as informações de sua investigação vão servir de base para a tomada de decisões futuras.

Características fundamentais para um Analista de Ecommerce

1- Saber fazer comparações

Um análise só é bem feita, quando cruzamos dados de forma coerente, ou seja, é preciso comparar dados de períodos similares. Por exemplo, se você é um ecommerce de moda compare abertura de coleção com abertura de outra coleção, fechamento de coleção com fechamento de coleção. 

2- Não deve fazer apenas análises reativas

O Analista deve analisar todas as ações do ecommerce, tanto as que deram errado, quanto as que deram certo. Esse profissional precisa analisar e documentar também as ações que deram certo para poder ter um guia na hora de entender o motivo de ter dado errado.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Qual é a rotina do Analista de Ecommerce?” ou apertar o play abaixo.

Dicas para futuros Analistas de Ecommerce

1- Deixe bem alinhado as metas com o KPI

O Analista precisa saber os objetivos do ecommerce para ter um ponto de partida na hora de analisar os números que captou. Lembrando sempre que ferramentas apenas produzem dados, é o profissional que vai transformar aqueles números em decisões.

2- Analise o ecommerce por óticas diferentes

É como já falamos aqui no artigo O que faz um Analista de Ecommerce? , o Analista de Ecommerce é um profissional 360º, ou seja, deve estar por dentro e analisar todos os setores da operação. É preciso olhar para os números levando em consideração a importância de cada uma das etapas. Os 5 pontos que devem ser analisados são: marketing digital,  produto, tecnologia(site), logística e atendimento.

3- Menos mimimi, mais planejamento

O Analista não pode apenas solucionar problemas do dia a dia. É preciso ter um tempo para investigar o que está acontecendo para conseguir propor novos caminhos. Isso só é possível criando um planejamento.

Quer ser um Analista de Ecommerce? Conheça o nosso curso Formação de Analista de Ecommerce!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso cana do YouTube “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Analista de Ecommerce? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Ecommerce no Brasil: Qual é o cenário?

2 Lojas sendo criadas por minuto, mais de 5.000 vagas no mercado, esse é o cenário do mercado de ecommerce no Brasil. Listamos alguns pontos que você precisa saber, caso queira ingressar no mercado que mais cresce no Brasil.

1- Digitalização de grandes marcas

Os segmentos que mais cresceram no mercado de ecommerce de 2020 para cá foram Pet Shop e Comida. No caso dos estabelecimentos de alimentação, a operação consiste tanto em sites da própria empresa, quanto na operação por aplicativos como Ifood, Uber Eats, Rappi,entre outros. 

Além disso, há os supermercados e pouquíssimos possuem uma operação de ecommerce. Um dos cases de sucesso que podemos citar é o do Supermercado Zona Sul, ouça o episódio do nosso podcast.

Também temos o Prezunic, supermercado do Rio de Janeiro, que adotou uma estratégia Soft Opening, que nada mais é do que uma pequena abertura na operação para vender somente em uma área restrita. Depois de analisar erros e acertos, a ideia é escalonar a operação para atender mais regiões.

2- Mudança de comportamento

Empresas se viram obrigadas a mudar suas estratégias de comunicação e vendas. O cenário de pandemia veio para acelerar o processo de integração on e off de muitas empresas, que estavam postergando há muito tempo a implementação de suas estratégias omnichannel.

Um dos segmentos que foram forçados a mudar de postura foram as chocolatarias. As restrições de deslocamento estavam no auge na Páscoa de 2020 e por conta disso grandes marcas tiveram que montar uma operação de ecommerce mais forte para conseguir realizar vendas e diminuir o prejuízo.

Isso também ficou visível nas ações de marketing de empresas como a Kopenhagen e a Cacau Show. Essas marcas fizeram propagandas na televisão com o objetivo de incentivar as pessoas a comprarem online com frete grátis.

Além desse, teve lojas de móveis e decoração, que não tinham uma operação estabelecida de ecommerce, fazendo campanhas na televisão para as pessoas comprarem com os vendedores das lojas físicas através do WhatsApp.

Lembrando que ecommerce é qualquer venda feita por meio digital, sendo assim, essas empresas adotaram uma estratégia omnichannel usando o WhatsApp como ferramenta de ecommerce.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Qual o cenário do ecommerce no Brasil” ou apertar o play abaixo.

3- Ecommerce no Brasil: Diferenças entre o hoje x início

No início do ecommerce, era preciso desenvolvedores para criar as lojas virtuais e isso dificultava muito a vida de quem queria vender online.

Além disso, não havia formação acadêmica para quem queria trabalhar com ecommerce. Isso fazia o mercado ser composto por pessoas sem conhecimento de área, que aprendiam com os erros e acertos do seu dia a dia no trabalho.

Hoje, conseguimos criar lojas virtuais em questões de alguns cliques usando as plataformas Saas. Já na questão da formação de profissionais, não temos ainda muitos cursos a nível de graduação, mas temos cursos livres estruturados por profissionais do mercado.

Esse é o caso da nossa escola Ecommerce Pro. Conheça!

4-  Mercado de ecommerce no Brasil está em alta

Quanto mais ecommerces são criados, mais profissionais serão demandados. Hoje, o cenário do ecommerce no Brasil é o seguinte, há mais vagas do que profissionais qualificados. Com o objetivo de sanar essa dor do mercado, nós criamos os nossos cursos profissionalizantes. No momento, está aberta as inscrições para a nossa próxima turma do curso Formação de Analista de Ecommerce EaD.

 Conheça mais sobre o conteúdo do curso no link abaixo!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso cana do YouTube “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Analista de Ecommerce? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Quais são as melhores ferramentas para Ecommerce?

Quer trabalhar com ecommerce, mas não sabe quais ferramentas você precisa aprender ou se aperfeiçoar? Nesse artigo, listamos as 6 melhores ferramentas para ecommerce, desde ferramentas ligadas à performance até à logística.

1- Google Analytics

A primeira ferramenta da lista é a mais básica que o ecommerce deve ter para analisar suas vendas, taxa de conversão, vai te ajudar a mensurar toda parte de comportamento do consumidor.

Com o GA bem instalado no seu site, você consegue ver como funciona o funil de vendas do seu ecommerce, em qual etapa está o seu usuário, em qual momento as pessoas estão entrando e saindo do seu site. Assim, essa ferramenta é fundamental para quem trabalha diretamente com site para ajudar a conhecer bem o público da marca.

2- Similar Web

Entenda como é o comportamento dos usuários no seu site. Nessa ferramenta você consegue ver quanto o seu concorrente tem de tráfego, a origem desse tráfego, quanto o concorrente tem de acesso via Google Ads, via redes sociais, via WhatsApp, etc.

Com esses dados em mãos, você consegue pensar quais são as possíveis estratégias que o concorrente está usando e se for o caso pode até testar algo similar. Portanto, essa ferramenta é fundamental para conseguir entender melhor a concorrência e ver o que pode ou não funcionar na empresa onde atua.

Obs. O Gustavo deixou uma dica no vídeo sobre essa ferramenta vale a pena conferir.

3- Semrush

É uma ferramenta que vai te ajudar na análise de Seo e também na análise de concorrência.

O Semrush vai te ajudar a entender como que a palavra-chave, que você está focando no conteúdo do site, está performando nos quesitos de: Volume de pesquisa da palavra no Google, como está a concorrência,etc.

Dica do Gustavo: Se está começando, foque em palavras-chave de concorrência pequena ou média, porque isso diminui o seu esforço para que sua estratégia de Seo tenha êxito.

Além disso, a ferramenta também ajuda nas estratégias de tráfego pago, pois vai te ajudar a ter uma noção de quanto está o custo por clique médio da sua palavra-chave e quem está anunciando.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Melhores ferramentas para Ecommerce” ou apertar o play abaixo.

4- Supermetrics

É a ferramenta que salva a vida de todo Analista de Ecommerce, porque conecta os seus bancos de dados ao Excel. Chega de se desesperar toda segunda-feira tendo que organizar e atualizar os dados nas suas planilhas.

A Supermetrics permite a você automatizar esses relatórios além de integrar os dados de Facebook ao Google Data Studio. Assim, essa ferramenta vai te poupar gastar horas e horas puxando dados e te deixará com mais tempo para analisar.

5- Melhor envio

É uma ferramenta ligada à parte logística do seu ecommerce. Ela permite que você faça uma cotação entre transportadoras e exiba a opção de frente mais barata, além de mais rápida, para o seu cliente. Portanto, é uma ferramenta que ajuda a otimizar o processo de entrega , descomplicando essa operação e te ajuda a tornar a experiência do seu cliente melhor, pois vai receber mais rápido.

Para pequenos ecommerces, a Melhor Envio pode ser uma excelente alternativa para conseguir aquele SUPER preço com transportadoras gigantes.

6- Webflow

É uma ferramenta que possui duas funcionalidades muito interessantes para entendermos o comportamento do usuário no nosso site.

A primeira é a função Video Recording que possibilita a gravação da tela do usuário. Isso vai te ajudar a entender o porquê a pessoa saiu do seu site sem comprar, em qual página ela saiu, etc. É uma ferramenta que traz dados qualitativos.

Segunda função é Pesquisa que possibilita fazer pesquisas com o usuário dentro do seu site ou até mesmo fora via email, depois das pessoas comprarem. Assim, o Webflow é uma ferramenta que te ajuda a entender melhor a sua persona para mandar a comunicação correta para o seu público.

Quer aprender mais sobre essas ferramentas? Entre para a nossa comunidade de alunos. Confira no link o nosso curso!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas ou quer saber mais sobre outras ferramentas? Coloque nos comentários! Quem sabe a gente não traz em um outro post!

Categorias
Uncategorized

Quais são as competências do Analista de Ecommerce?

Tem vontade de começar a trabalhar com ecommerce, mas não sabe o que é preciso fazer para conseguir ingressar nessa área? Criamos uma lista para você entender bem quais são as competências necessárias para ser um ou uma Analista de Ecommerce. Vamos acabar com as suas dúvidas de uma vez por todas.

1-  Precisa ter uma visão 360º

O Analista de Ecommerce precisa ser capaz de saber identificar o que não está funcionando e o que pode ser melhorado, depois de olhar toda a operação. Portanto, esse profissional não pode ficar parado em um único setor, porque se ficar estagnado jamais conseguirá desenvolver a visão do todo da operação.

2- Saber gerenciar o tempo

O Analista de Ecommerce precisa ser capaz de dividir o seu tempo de trabalho de forma a atender todas as necessidades da operação, desde cadastro de produtos e atendimento nas redes sociais até se os produtos estão sendo entregues no prazo correto.

Quanto menor for o ecommerce, menor é quantidade de pessoas trabalhando na operação e maior a necessidade de o Analista estar envolvido o tempo todo em todas as etapas. Assim sendo, quanto menor for o tamanho da empresa, maior a necessidade do analista saber gerir o tempo, pois estará envolvido em mais demandas e setores.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Competências do Analista de Ecommerce” ou apertar o play abaixo.

3- Ser generalista

O Analista precisa saber um pouco de tudo e isso não significa que ele seja muito bom em tudo.

Ele vai precisar entender sobre: Seo, Ux, Google Analytics, Google Ads, Google Tag Manager, Google Data Studio, Email Marketing e redes sociais. Tudo isso voltado para ecommerce, pois Ecommerce NÃO É MARKETING DIGITAL!

4- Ser proativo 

O Analista precisa ter proatividade, pois ecommerce é um negócio que funciona 24h e está o tempo todo mudando, se o profissional não buscar saber o que está acontecendo sempre, vai ficar para trás.

Jamais espere te informarem as coisas no ecommerce, vá atrás, pois é um ritmo muito acelerado e com certeza ninguém vai ter tempo para ir até você.

Obs. Ecommerce não é marketing digital!

Marketing digital é apenas uma parte da operação de um ecommerce. 

Quer se preparar para ingressar no mercado de ecommerce? Confira no link o nosso curso!

https://bit.ly/3cFhcYl

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Analista de Ecommerce? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

O que faz um Analista de Ecommerce?

Você sabe o quais são as responsabilidades de um Analista de Ecommerce? Como é a sua rotina? Aprenda agora mesmo de forma fácil e prática!

1-   Analista de Ecommerce não é Analista de Marketing Digital

Para começar essa conversa, precisamos deixar bem claro na sua cabeça a diferença entre esses dois cargos.

O Analista trabalha no ecommerce como um todo, o digital é apenas uma parte da engrenagem onde esse profissional atua, ele não é necessariamente o Analista de Marketing Digital. Isso vai depender da empresa. Portanto, trabalhar como analista não é sinônimo de trabalhar com marketing digital, pois há outras áreas que pode atuar.

2- Profissional 360º

O analista é um profissional 360 º. Ele deve ser um profissional mais generalista, ele entende de marketing digital, mas não foca somente nisso.

Esse profissional precisa entender, além de marketing digital, de ecommerce e de plataforma. Também precisa saber o básico de tecnologia, entender de compras e de marketplace.

Dependendo da empresa, pode ficar focado em marketplace, no ecommerce da empresa como um todo, ou seja, fazendo o gerenciamento de algumas áreas internas como o comercial e a performance. Portanto, o analista de ecommerce deve entender desde como cadastrar produtos, criar e gerir anúncios, até como atender o cliente.

Em algumas empresas, a parte de performance fica separada do restante da operação do ecommerce.

3- Responsável pela execução

O Analista de Ecommerce é responsável por ajudar a executar todo o planejamento do ecommerce. 

É esse profissional que vai ter a responsabilidade de:

  • Conversar com o time comercial.
  • Alinhar a comunicação com o time de tecnologia
  • Trocar e conversar com o time de marketing.

Assim sendo, esse profissional é uma carta coringa dentro da operação, pois vai estar sempre transitando em todos os setores para verificar o que está sendo feito e como ele pode ajudar.

Você encontra esse conteúdo também no vídeo do nosso canal do Youtube “O que faz um Analista de Ecommerce”.

Para assistir é só apertar o play! 

3- Responsável por desenvolver um planejamento

O Analista de Ecommerce deve construir um planejamento que visa produto, estoque, marketing, promoção e ações. Esse planejamento pode ser trimestral, semestral ou anual. Assim sendo, esse profissional precisa ser uma pessoa bem organizada para conseguir desenvolver um planejamento que dê conta de todos os setores.

4- Relatar cada passo dado

Criar relatório é função básica para todos os Analistas de Ecommerce. Assim, qualquer ação no ecommerce deve ser relatada, colocando o antes e o depois.

Todos os dias, o Analista de Ecommerce deve relatar o que está acontecendo no negócio. Seus relatórios devem ter o investimento que está sendo feito em mídia e o resultado que está tendo.

Essa necessidade de relatar tudo que acontece faz com que o profissional precise ser uma pessoa extremamente organizada para não deixar passar nada.

Também precisa colocar nos relatórios as vendas, quais produtos foram vendidos, quais as categorias e as promoções se deram certo ou errado. Assim, esse hábito de relatar tudo, vai ajudar a tomar decisões mais assertivas, pois o profissional terá uma base de dados que orientam suas ações.

5- Monitorar o marketplace

Se a empresa está em algum marketplace, é obrigação do Analista de Ecommerce monitorar como a marca está performando. Isso inclui verificar a pontuação que a empresa está recebendo no marketplace e  como os usuários estão avaliando a empresa. Assim, o analista é responsável por ajudar o negócio crescer em um canal de venda tão importante, que é o marketplace.

O Analista de Ecommerce vai fazer uma análise do desempenho da empresa em cada um dos marketplaces e vai decidir qual é a melhor estratégia para vender mais em cada uma das plataformas. Portanto, esse profissional precisa ser bem informado sobre o que acontece no mercado.

Tendo conhecimento das novidades de cada marketplace, ele conseguirá agitar a empresa para se adaptar às mudanças e colocará a empresa na frente da concorrência. Assim, o monitoramento sobre marketplace do analista deve incluir não só como a empresa está performando, mas o que está rolando de mudanças dos marketplaces.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Analista de Ecommerce? Coloque nos comentários!