Categorias
Uncategorized

Métricas mais importantes para Ecommerce

Você trabalha com marketing digital voltado para ecommerce? Sabe quais métricas deve analisar diariamente? Se sente um pouco perdido ou perdida por conta da grande quantidade de informações disponíveis?

Neste artigo, vamos falar sobre tudo que você precisa saber sobre métricas, desde como escolher até qual(is) precisam de acompanhamento diário para garantir o crescimento do ecommerce onde você trabalha.

Antes de mostrarmos quais métricas são fundamentais para o ecommerce, precisamos deixar bem claro na sua mente o que é: objetivo, métricas,kpi e estratégia dentro do marketing.

O que é objetivo?

É aquilo que você pretende alcançar, quando realiza uma determinada ação dentro do ecommerce, seja montar uma campanha, cadastrar produto, entre outras. O objetivo é a base de todo o processo, pois é por meio dele que você vai saber depois quais métricas serão analisadas.

O que são métricas?

Métricas são números, números que podem ser analisados. São elas que respondem as suas perguntas sobre suas ações de marketing dentro do ecommerce. Nem toda métrica é um KPI, somente a que for mais relevante para alcançar um determinado objetivo.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Métricas fundamentais para o analista de ecommerce?” ou apertar o play abaixo.

 O que é KPI?

É o indicador-chave de performance. Ele é usado para avaliar se uma determinada ação dentro do ecommerce atendeu ou não as expectativas do negócio. Todo negócio pode ter vários kpis, para isso é preciso que tenha mais de um objetivo. Logo, os KPI’s indicam a performance do objetivo,se você está próximo de atingir o objetivo ou não.

O que é estratégia?

É o caminho que você vai percorrer para alcançar o seu objetivo.

Vamos às métricas!!

1- Transações

É o pedido efetuado, não leva em consideração o pagamento. Temos dois tipos de transações, captada e faturada. A captada é a transação sem status, aqui entra todos os pedidos que foram concluídos, não leva em conta se foi ou não pago. Já a transação faturada, leva consideração os pedidos que tiveram o pagamento confirmado.

2- Taxa de aprovação

Mostra quantos % dos pedidos do seu ecommerce foram pagos. Ela pode ser quebrada, você pode ter uma taxa de aprovação para cada tipo de cartão de crédito, bandeira, para boleto.

3- Sessões

Toda vez que alguém entra no seu site acontece uma sessão. Essa métrica é importante entender porque você deseja trazer um tráfego qualificado para o ecommerce com o objetivo de aumentar as transações.

4- Taxa de conversão

Essa métrica é calculada da seguinte forma: transação dividido pelo número de sessão vezes 100.

Ex. 2 pessoas entraram no seu site e você teve uma transação. O cálculo é 1 dividido 2 x 100 = 50%

Lembrando que a taxa de conversão é algo que deve comparar com você mesmo.

5- Tempo de carregamento

Quanto tempo o seu site demora para carregar? Esse tempo deve ser no máximo 3 segundos. Isso vai te ajudar a ser melhor ranqueado no Google. Você pode conferir o tempo de carregamento do ecommerce, onde você trabalha, nas ferramentas Google PageSpeed Insights e a Pingdom Tools.

6- Roas

É o retorno financeiro que o investimento em publicidade está dando para a empresa.

7- Taxa de Devolução

Vai te ajudar entender se as informações do seu ecommerce estão bem claras, se a logística, o centro de distribuição, tudo está funcionando da maneira correta para que o cliente sinta-se satisfeito e não precise pedir para devolver o produto comprado com você.

É importante você entender desde a descrição do produto até a logística, pois a pessoa pode estar querendo devolver porque a caixa estava amassada, não tinha todos os acessórios que estavam na descrição.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre métricas para ecommerce? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Conheça o ecommerce Madrugão Suplementos

Você já ouviu falar da Madrugão Suplementos? Se você é o tipo de pessoa que não falta na academia e está sempre buscando formas de melhorar seu rendimento, provavelmente, já ouviu falar sobre. Mas caso não, vamos te apresentar a Madrugão Suplementos.

Além disso, neste artigo, você vai conhecer melhor sobre como funciona a operação de um ecommerce focado em suplementos alimentares.

Ouça o nosso podcast! Não esquece de nos seguir na sua plataforma favorita!

Conheça a Madrugão Suplementos

Ela foi fundada em 2005 e hoje é a maior loja online exclusiva de suplementos alimentares do Brasil. No seu estoque, eles possuem mais de 5.000 itens para pronta entrega e mais de 50 marcas, entre nacionais e importadas.

Além disso, pensando em proporcionar uma excelente experiência de atendimento, eles estão sempre proporcionando treinamentos supervisionados por nutricionistas para os seus colaboradores.

Por que Madrugão?

Veio de um apelido dado ao Ceo da empresa, pois, na época, o único horário que ele tinha, por conta do trabalho, para alimentar o seu blog sobre atividades físicas era bem cedo, no início da manhã. Isso rendeu-lhe o apelido de “madruga”.

Além disso, o significado da palavra madrugada representa a essência da empresa, pois significa “algo que chega”. Sendo assim, um nome perfeito para varejo, um negócio que está sempre trazendo ofertas, oportunidades.

O que aprendemos no podcast

1- Como usam os influenciadores no Branding da marca

A marca investe em vários influenciadores, para criarem conteúdos que comuniquem da melhor forma possível os benefícios dos produtos. Os convidados ressaltaram a importância de estar constantemente passando informações sobre seus produtos e o mercado de suplementação, pois há muitos mitos sendo espalhados por pessoas não especialistas, que atrapalham as vendas. 

Entre os influenciadores, a Madrugão conta com atletas profissionais ou amadores, profissionais de educação física, médicos, nutricionistas e pessoas focadas em lifestyle.

O Murilo, que é o coordenador de comunicação, destacou a importância de antes de realizar o contrato para fechar a parceria, ter uma conversa franca para saber se os objetivos entre influenciador e marca estão bem alinhados. Isso evita frustrações de ambas as partes.

Ele contou também que a Madrugão se aproveita da reputação, da autoridade, do status, do influenciador para gerar credibilidade e confiança para a marca. Mas também tenta colaborar com o crescimento de seus parceiros. 

O relacionamento da Madrugão com os influenciadores nos mostra um belo exemplo de como uma parceria deve ser. Devemos sempre ter com os nossos parceiros um relacionamento saudável, em que todos saem ganhando.

2- Como é feito o armazenamento e logística

Hoje, a operação conta com mais de 5.000 skus e não há possibilidade de ter uma enorme quantidade de todos os produtos em estoque. Por conta disso, o comercial está sempre fazendo compras recorrentes, o que faz o estoque estar sempre com produtos com prazo de validade longos. Nesse segmento é preciso estar atento a fatores externos, como temperatura e eventos, para saber o que vai ser preciso repor no estoque.

Além disso, o Jorge, Head de Ecommerce da Madrugão, contou a importância de não deixar faltarem alguns produtos que são essenciais, para compor cestas de diferentes tipos de carrinhos, e não perder a venda.

3- Como é feito o tráfego pago

Os convidados falaram sobre a dificuldade em saber quais produtos são permitidos ou não pelo Google Ads para fazer anúncios. Ao ler os termos da ferramenta, isso não ficava muito claro.

Todos os produtos da Madrugão são regulados pela Anvisa. Mas como o Google é uma empresa dos Estados Unidos, há alguns produtos que não são permitidos lá e aqui no Brasil sim.

Além disso, eles tiveram dificuldades em achar agências que conhecessem bem o segmento deles e soubessem exatamente o que podia ou não ser feito.

Depois de muitos problemas, eles encontram nas agências parceiras Google e Facebook a solução para realizar da melhor forma possível o tráfego pago.

Além disso, nessa episódio você pode aprender sobre:

– Recorrência

– Usabilidade do site

– Experiência do cliente

– Marketplace

Já conhecia esse ecommerce? O que vai curtiu da operação? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

O que é Google Shopping? Vale a pena?

Você sabe o que é Google Shopping? Já ouviu falar sobre Google Ads? Com certeza, você já foi impactado ou impactada por anúncios na internet, seja em uma simples busca no Google, jogando em algum aplicativo, vendo algum vídeo no YouTube ou lendo uma matéria no site.

Neste artigo, você vai entender melhor como esse mecanismo funciona, pois, falaremos sobre Google Ads focando no formato Google Shopping. Se você trabalha com marketing digital, você precisa estar por dentro dessa ferramenta.

O que é Google Ads?

Antes de falarmos sobre Google Shopping, precisamos deixar claro o que é o Google Ads. O Google Ads,  antes chamado de Google Adwords, é uma plataforma de anúncios do Google, por lá você consegue criar anúncios de vídeo, texto com ou sem imagem. Os principais tipos de anúncios são Rede de Pesquisa, Rede de Display, Vídeo (YouTube) e Shopping.

Quem nunca deu um Google, antes de realizar uma compra não é verdade. O Google é o maior site de pesquisa do mundo e por conta disso, você precisa saber trabalhar muito bem com essa ferramenta, seja com anúncios (tráfego pago) ou trabalhando o Seo (tráfego orgânico). Hoje, estamos focando no pago.

Você já viu que, quando realiza uma busca no Google, os primeiros resultados possuem uma etiqueta “Anúncio”. Isso acontece porque quem trabalha para esses sites, foram até o Google Ads e criaram anúncios no formato Rede de Pesquisa. Nessa modalidade, só é permitido o uso de texto, já na modalidade Shopping a dinâmica é um pouco diferente.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “O que é Google Shopping?” ou apertar o play abaixo.

O que é Google Shopping?

Nada mais é do que uma vitrine virtua de produtos das lojas cadastradas. É como se fosse um shopping online mesmo. Essa modalidade tem funções muito parecidas com as de comparadores de preços, como o Buscapé e o Zoom. A única diferença é a integração direta com o Google. Isso faz com que os produtos apareçam em posição de destaque nas buscas feitas no Google.

No Google Shopping é possível colocar foto, nome e preço do produto. Se o seu produto for personalizado, esse formato de anúncio não é recomendado, pois, a foto do produto fica em um tamanho muito pequeno e não consegue mostrar detalhes. Agora, se for um produtos conhecidos de grandes marcas, como celular e geladeira, e seu preço for competitivo no mercado, pode abusar sem medo do Google Shopping.

Teste e relate sempre

Tudo no digital muda muito rápido, para acompanhar essas mudanças  e sair na frente dos concorrentes, você precisa estar sempre testando coisas novas. Esses testes vão te disponibilizar dados, que você precisará criar relatórios com eles e fazer análises em cima disso. 

O Google Shopping tem relatórios que te mostra resultados por produtos. Você vai conseguir ver quantos cliques teve cada um dos seus produtos, quantas vendas teve de cada item e ver o Roi. Analisando esses relatórios, você consegue ver o que deve ser excluído do seu Google Shopping e o que deve continuar.

O que é preciso para usar o Google Shopping?

1- Precisa ser um varejista digital.

2- Precisa ter cadastro no Google Merchant Center.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Google Shopping? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Leveros: Conheça a operação do ecommerce

Você já ouviu falar da Leveros? Já precisou comprar um ar condicionado split e se deparou com termos como condensadora e evaporadora? Neste artigo, você vai conhecer melhor sobre como funciona a operação de um ecommerce focado em climatização.

Ouça o nosso podcast! Não esquece de nos seguir na sua plataforma favorita!

Conheça a Leveros

É uma empresa especializada no segmento de climatização. Além disso, ela tem mais de 40 anos, começou como uma prestadora de serviços autorizados para a Brastemp, focada em consertar geladeiras, com o nome de Gelosom na cidade de Assis, São Paulo.

 Em 2005, comprou uma empresa chamada Multi-Ar em Marília e passou a vender exclusivamente aparelhos de ar-condicionado. Além de prestar serviços relacionados a isso em lojas físicas.

Dois anos depois, passou a ter um ecommerce, com o objetivo de ampliar as operações e atender em todo o país. Em 2017, passou a se chamar Leveros e teve sua mentalidade transformada de um negócio varejista para uma empresa que oferece soluções completas.

O que aprendemos no podcast

1- Como é feito a gestão de estoque e logística

Esse estilo de ecommerce não começa do dia para a noite, pois são produtos muito grandes, cada produto são dois (condensadora/evaporadora). Isso demanda uma operação logística complexa, tanto para armazenagem quanto para distribuição.

A complexidade não para por aí, a dificuldade vai desde a compra de cada componente, como amarrar isso no ERP (sistema de gestão), até como subir na plataforma. Isso porque é preciso mudar o nome técnico para algo mais amigável ao público. Afinal, todo mundo quer um ar-condicionado split, mas poucos sabem o que é uma condensadora ou evaporadora.

2- Como atender da melhor forma as pessoas

A Leveros aposta no WhatsApp como um canal de vendas amigável, pois as pessoas já estão acostumadas a usar esse meio, diferentemente do Chat. Por meio de um QR Code, que fica na Home, as pessoas podem entrar em contato com os especialistas da empresa para tirar suas dúvidas. Esse QR Code leva para o WhatsApp da empresa.

3- Como usam o marketing de conteúdo

A ideia da Leveros  é ter a longo prazo conteúdos com diferentes formatos no blog que esclareçam todo o tipo de dúvida do seu público. Isso alinhado com o atendimento das consultoras é essencial para o crescimento da empresa.

4- Como oferecer uma solução completa

A ideia da Leveros é oferecer uma solução completa para os seus clientes. Depois da compra do ar condicionado, a empresa oferece seu serviço de instalação, por meio da plataforma Profiz. Ela é uma comunidade de especialistas em Refrigeração, Climatização e Energia Solar, o “Uber” da Leveros.

Além disso, nessa episódio você pode aprender sobre:

  • Estratégias de Upsell 
  • Recorrência
  • Marketplace
  • Estratégias de divulgação

Já conhecia esse ecommerce? O que vai curtiu da operação? Coloque nos comentários!

Veja também!

Livraria Travessa

 Wöllner 

Categorias
Uncategorized

O que é Web Analytics?

Você sabe o que é Web Analytics? Com certeza, você já ouviu falar ou até mesmo teve a oportunidade de mexer no Google Analytics. Mas sabia que análise de dados web vai muito além dessa ferramenta?

Neste artigo, vamos falar sobre Web Analytics, Google Analytics e Business intelligence. Se você trabalha com marketing digital, você precisa estar bem atento(a) a cada um dos pontos levantados aqui.

O que é Google Analytics?

É uma ferramenta vai te ajudar a entender melhor o comportamento do seu consumidor e os motivos de uma campanha ter ido bem ou não. O Google Analytics, ou GA para os íntimos, é apenas uma ferramenta das milhares que você encontra no mercado para fazer a sua análise de dados.

O Google Analytics oferece diversos relatórios de maneira gratuita o que ajuda aos pequenos e médios negócios a entenderem melhor o comportamento dos seus usuários sem precisar gastar seu orçamento pagando ferramentas. Confira mais sobre!

No Google Analytics, o nome dos relatórios é exatamente o tipo de informação que ele vai te fornecer. 

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “O que é Web Analytics? É a mesma coisa que Google Analytics?” ou apertar o play abaixo.

O que é Web Analytics?

É mais que uma ferramenta, web Analytics é transformar dados em execução. Você precisa estar sempre relatando cada passo das ações executadas na empresa. Aos poucos, você vai criando uma base de dados que vai te ajudar a tomar decisões futuras.

O que é B.I?

B.I é Business intelligence, não é criar relatórios. B.I é coletar, estruturar, analisar, compartilhar e monitorar informações de ações executadas dentro de um negócio.

Importante!!

Não abra a ferramenta sem saber o que você está procurando. Uma dica é anotar suas perguntas e depois entrar na ferramenta para que nela encontre as respostas.

A ferramenta, como o Google Analytics, é o meio do processo. Ela vai responder suas perguntas e também vai gerar insights para você saber quais são os próximos passos a serem dados.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre Web Analytics ou Google Analytics? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Influenciadores: Como medir seus resultados?

Você já sabe como usar os influenciadores na sua campanha, mas sabe como mostrar que eles deram resultado para a sua marca? Neste artigo, vamos falar sobre o que precisamos considerar na hora de medir os resultados dos influenciadores.

Antes de escolher as métricas, que vão ser analisadas, você precisa ter em mente qual é o objetivo da sua campanha, para saber o que esperar do seu influenciador.

É importante ter em mente, que o influenciador não é sinônimo de venda, pois a venda é consequência do branding da marca. Vamos às formas de medir os resultados dos influenciadores na campanha.

Obs. Não adianta nada investir o dinheiro em influenciadores, se a sua marca não tem produtos/serviços que agradam às pessoas.

1- Cupom e links personalizados

Você deve trabalhar com vários influenciadores ao mesmo tempo. Para saber qual deles está dando resultado, uma excelente opção é criar cupons de desconto personalizados. Eles vão divulgar o cupom nos stories e tagueando o link do arrasta para cima de cada um, você conseguirá saber quem está dando mais resultado.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Como medir os resultados dos influenciadores?” ou apertar o play abaixo.

2- Foque em métricas de engajamento

Para analisar o trabalho dos influenciadores, você vai precisar ir além de curtidas e seguidores. Um bom influenciador tem mais do que curtidas, pois seu engajamento tem números expressivos de comentários, visualizações, salvamentos e compartilhamentos.

3- Relatórios e mídia kit

Ao acabar a campanha, peça um relatório do influenciador com os números da mídia usada por ele. Peça para ele focar em métricas de engajamento, como visualizações (vídeo/stories), alcance, cliques em link e comentários.

Importante!

Na hora de escolher os influenciadores, você precisa ir atrás do mídia kit. O mídia kit é o documento que os influenciadores usam para organizar informações importantes do seu trabalho. São elas visualizações, comentários, likes, alcance e impressões.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre como ver os resultados dos influenciadores na sua campanha? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Wöllner: Conheça esse ecommerce de moda

Você já ouviu falar da Wöllner? Já teve a oportunidade de ter uma experiência “viver a céu aberto”? Neste artigo, você vai conhecer melhor sobre como funciona a operação de um ecommerce de moda e como é feita a integração com as lojas físicas.

Ouça o episódio do nosso podcast sobre a Wöllner ! Não esquece de nos seguir na sua plataforma favorita!

Conheça a Wöllner

Marca de moda referência no estado do Rio de Janeiro, que possui linhas de produtos e acessórios masculino e feminino. Além disso, tem 10 lojas no Rio de Janeiro e mais de 350 pontos de vendas espalhados pelo Brasil. O lema da Wöllner é “Viver a céu aberto”, o que reflete muito o estilo de vida dos fundadores da marca.

O que aprendemos no nosso podcast 

Nesse episódio do nosso Bate Papo Sobre Ecommerce, conhecemos os principais desafios de quem trabalha com ecommerce de moda e alternativas para trazer bons resultados para a empresa. Vamos aos destaques do episódio da Wöllner!

1- Cultura da Wöllner

A Wöllner vai muito além de uma marca de moda, pois ela compartilha um estilo de vida.

Todos os produtos da marca bebem da fonte do lema “viver a céu aberto”, estar sempre fazendo atividades ao ar livre, praticando exercícios. Ela acredita que isso dá um ganho físico e mental para seus clientes e seus colaboradores.

2- Como se diferenciar no mercado de moda

A Wöllner criou uma comunidade com micro embaixadores para poder se diferenciar no mercado de moda. Na comunicação da marca, eles usam o material produzido pelos seus embaixadores para poder inspirar as pessoas e estimulá-las a querer fazer parte da comunidade da marca, após comprar nossos produtos.

3-  Os grandes desafios do ecommerce de moda

A-  Ter um estoque bem integrado para não furar a grade de produtos

Fazendo isso, a marca consegue disponibilizar a maior variedade possível dos produtos para os clientes.

Ex. Não tenho o tamanho P, no Centro de Distribuição, mas tem no estoque do Shopping X, então, meu cliente vai poder ter o produto indo até à loja física.

B- Falta de padronização nos tamanhos.

Além da tabela de medidas, colocamos um time de atendimento para tirar dúvidas sobre tamanho dos produtos via WhatsApp e habilitamos para as pessoas poderem trocar os produtos comprados no ecommerce nas lojas físicas

Além disso, você pode aprender sobre:

  • O desafio de adaptar a cultura da marca ao momento que estamos vivendo 
  • Os planos da Wöllner ter um marketplace de produtos/serviços.
  • Tráfego

Já conhecia esse ecommerce? O que vai curtiu da operação? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Qual é o salário do Analista de ecommerce?

Aqui, no nosso blog, já falamos sobre a rotina do analista, quais são as habilidades necessárias para ser um analista e como está o cenário do ecommerce no Brasil. Hoje, você vai saber o salário do analista de ecommerce e como é a carreira dele.

Como é a trajetória no ecommerce?

O primeiro degrau da carreira de quem quer trabalhar com ecommerce é o cargo de assistente, depois de um tempo esse profissional atinge o patamar de analista júnior. Você deve estar aberto a trabalhar como assistente, pois é um cargo que vai te dar uma boa base, para depois se tornar uma bom analista.

 O terceiro estágio é o cargo de analista pleno. O profissional atinge esse nível, quando já tem uma certa experiência na empresa. A última etapa do analista é o sênior.

Quando o profissional chega nesse patamar, já tem capacidade de gerir outras pessoas. Depois, temos cargos mais estratégicos. São elas: coordenador, gerente e diretor. 

Dica: Procure uma vaga que seja compatível com a sua experiência. Não queime etapas, pois todas elas são importantes para sua formação como profissional.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Qual é o salário e a trajetória do Analista de ecommerce?” ou apertar o play abaixo

Como ter experiência sem estar empregado?

Construa seu case de sucesso. Para isso, você vai precisar “bater nas portas” das empresas e oferecer seu trabalho. Coloque tudo que você aprendeu em cursos em prática em marcas reais.

Depois, coloque esse seu trabalho na parte de experiências profissionais, mesmo se não for remunerado, o importante é praticar.

No nosso curso “Formação de Analista de Ecommerce“, temos o SuperCase. É um trabalho em que os nossos alunos analisam um ecommerce real e têm a oportunidade de mostrar para uma banca com grandes profissionais do mercado de trabalho.

Qual é o salário de um profissional de ecommerce?

O salário varia de acordo com o cargo e experiência do profissional. O primeiro nível é o estagiário. Ele ganha de R$ 800,00 a 1.100,00, já no segundo nível, temos o assistente ganhando de R$ 1.200,00 a R$ 1.6000,00.

No terceiro nível, temos o analista. Ele pode ter um salário de R$ 2.000,00 a R$ 5.000, vai depender da sua experiência e do tamanho da empresa.

O que diferencia um analista júnior de um pleno?

Experiência, que está ligada diretamente a capacidade de tomada de decisão do analista. Quanto maior for a experiência, mais decisões assertivas são tomadas.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre a carreira de Analista de ecommerce? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

O que é marketing de influência e como funciona?

Você sabe o que é marketing de influência? Sabe como e quando utilizar um influenciador na sua estratégia de marketing? Neste artigo, aprenderá como escolher o melhor influenciador para a sua marca e de que forma consegue mensurar os resultados dele, na sua campanha.

O que é marketing de influência?

É quando você utiliza uma pessoa com influência sobre o seu público alvo nas suas estratégias de marketing para fazer seus potenciais clientes comprarem algum produto ou serviço. Além disso, o influenciador pode ser usado também para mostrar algum posicionamento da marca.

O influenciador, quando escolhido de maneira certa,  ajuda a marca a se posicionar de forma positiva no mercado, pois transfere a autoridade do seu nome para o negócio parceiro. Ele faz isso por meio da criação de conteúdos relevantes para os seus seguidores.

Você encontra esse conteúdo também no nosso canal Ecommerce Pro no YouTube, basta digitar “Como usar influenciadores na sua estratégia?” ou apertar o play abaixo.

Como usar os influenciadores?

Você deve colocar nas suas estratégias todos os tamanhos de influenciadores. A maioria das empresas, hoje, trabalham com micros, médios e grandes influenciadores dentro de uma mesma campanha.

a- Crie conteúdos com os influenciadores

Esses conteúdos vão te ajudar a humanizar sua marca e vão promover a sua marca para o mercado. Uma boa estratégia é enviar press-kits, os famosos recebidos, para os influenciadores com uma caixa bem chamativa e atraente, ou como falamos bem instangramável. Além dessa forma, você pode explorar os influenciadores é mandando para ele cupons de desconto com seus nomes para eles divulgarem nas suas redes sociais.

b- Posicionamento da marca

Se você deseja se posicionar no mercado em pautas sociais, como o feminismo, o veganismo, o lgbtqia+, você precisa fazer uma boa pesquisa para encontrar os influenciadores certos e eles serem os porta-vozes da marca. 

c- Tenha um relacionamento a longo prazo 

Invista em criar um relacionamento a longo prazo com os influenciadores. Isso vai te facilitar na hora das negociações, pois vai ser bem-visto pelo mercado, pelos outros influenciadores e também pelos possíveis clientes.

O influenciador não é um canal de venda direta, para funcionar é preciso que tenha uma constância de conteúdos para que as pessoas sintam maior verdade sobre o que ele está promovendo.

Mas, influenciador dá resultado?

Sim, dá. Mas para isso é preciso que tenha sido escolhido da maneira correta. Um dos erros que as marcas cometem é escolher o influenciador baseado em gostos pessoais e não no gosto da persona.

Um outro erro é escolher o influenciador pela quantidade de seguidores. Não faça isso! Você precisa escolher o influenciador que melhor conversa com o seu público e isso não depende dele ser nano, micro, médio ou grande influenciador.

O que esperar do influenciador?

Você deve esperar posicionamento, alcance, branding e engajamento. Quanto mais engajamento tiver o influenciador, maiores as chances de venda do seu produto ou serviço.

Dica de ouro!

Invista em microinfluenciadores. Quando for criar uma campanha, pense em ações simultâneas para que vários microinfluenciadores ativem seu produto ou serviço.

Não se esqueça de se inscrever no nosso canal “Ecommerce Pro”.

Tem dúvidas sobre marketing de influência? Coloque nos comentários!

Categorias
Uncategorized

Livraria da Travessa: Conheça o ecommerce

Você já ouviu falar da Livraria da Travessa? Já teve a oportunidade de entrar em uma das lojas físicas? Neste artigo, você vai conhecer melhor sobre como funciona a operação do ecommerce e sua integração com as lojas físicas.

Ouça o nosso podcast sobre a Livraria da Travessa! Não esquece de nos seguir na sua plataforma favorita!

Conheça a Livraria da Travessa

É uma livraria que teve seu início no Rio de Janeiro, hoje, tem lojas em São Paulo e Lisboa. Tivemos o prazer em gravar um episódio do nosso podcast com o Michel Cremona, gerente de ecommerce da Livraria da Travessa e separamos para você os principais pontos desse bate-papo.

O que aprendemos no podcast

1- Plataforma própria

O convidado falou sobre a importância de ter um time de desenvolvimento na operação para desenvolver as tecnologias que atendam necessidades específicas do seu negócio. Por ser um negócio que tem um estoque mais complexo com uma grande quantidade de produtos, é mais viável financeiramente desenvolver plataformas próprias do que pagar plataformas conhecidas, como a Vtex.

2- Experiência do cliente

Um dos grandes desafios da marca é como despertar o desejo pela leitura sem que a pessoa tenha o contato com o ambiente literário, sem que pegue o livro para sentir sua textura e seu cheiro. É fundamental criar uma experiência imersiva das pessoas com os livros para que elas se sintam atraídas e comprem.

Uma das ideias é levar as mesas literárias, eventos realizados nas lojas físicas, para o ambiente digital, além de usar o recurso 360º para mostrar o livro.

3- Arquitetura

As lojas físicas foram arquitetadas para envolver as pessoas e levá-las a comprar além do que elas pretendem. Já o site é todo estruturado e otimizado para proporcionar uma boa experiência para o usuário, tanto no desktop, quanto no mobile.

4- Acervo

Uso de APIs para integrar o acervo da loja física com o do site. Além disso, hoje, a empresa possibilita que editoras individuais consigam expor seus produtos na Travessa.

5- Atendimento humanizado

Para finalizar o tripé da Travessa (AAA), temos o atendimento. Todos os canais de comunicação são humanizados. Isso quer dizer que há uma preocupação em personalizar as respostas para que todos se sintam especiais e tenham suas necessidades atendidas.

No ambiente físico, os funcionários estão preparados para dar o melhor suporte possível para os clientes. Eles possuem conhecimento do que tem na loja e conseguem fazer uma espécie de curadoria para cada pessoa, dando sugestões baseadas nos gostos de cada um.

6- Melhor ferramenta é o ser humano

Não adianta nada adquirir um pacote super completo da ferramenta x, se não tiver alguém que entenda muito bem e saiba operar da melhor maneira possível. Somos nós que temos a capacidade de extrair os dados certos para tomar decisões mais assertivas.

Além disso, você pode ouvir sobre:

  • Como os profissionais são divididos na empresa
  • Eventos de lançamento
  • O que é estoque consignado

Já conhecia esse ecommerce? O que vai curtiu da operação? Coloque nos comentários!