Categorias
Uncategorized

Key Design: Ecommerce de moda masculina

Você já ouviu falar da marca Key Design? Já comprou algum acessório ou roupa do ecommerce? Neste artigo, você vai conhecer os bastidores da operação de um ecommerce de moda masculina.

Ouça o nosso podcast! Não esqueça de nos seguir na sua plataforma favorita!

Esse episódio conta com o patrocínio da Conta Simples.

Conheça a Key Design

A Key Design é uma DNVB, ou seja, Digitally Native Vertical Brands, em bom português significa Marcas Verticais Digitalmente Nativas. Isso significa ser uma marca, que nasceu no meio digital, se relaciona diretamente com o consumidor final e controla o produto do chão de fábrica até chegar no cliente, por isso verticalizadas.

Sua principal atuação é no ecommerce, mas tem outros canais de vendas ligados ao varejo físico. Além disso, opera no mercado de moda masculina com acessórios (pulseiras e colares), desde 2013, e roupas, a partir de 2019.

O que aprendemos no podcast

1- A importância para o negócio da extensão de produtos

Quando a  Key Design foi criada, em 2013, ela nasceu como uma marca de pulseiras e colares masculinos. Mas, desde sempre, Andre Yui, fundador e CEO, tinha em mente que o caminho natural seria gradativamente a Key Design se tornar uma marca de moda masculina completa.

Inicialmente, com pulseiras e colares, depois estendendo para outros tipos de acessórios, como mochilas e carteiras. Por fim, chegando no terceiro movimento,  no final de 2019, rodaram um teste colocando para jogo peças de vestuário, como camisetas e camisas. 

Hoje, a ideia é fazer uma separação da Key Design Marca e Key Design Canal. Como um canal que tem um bom volume de tráfego, a ideia é abrigar outras marcas complementares para ofertar outras categorias que são de interesse da Key Design. Essa separação tem como objetivo ir aos poucos construir um portal com conteúdos e produtos de qualidade que promovam a moda masculina.

2- Como foi a estratégia da Key Design para criar o clube de assinatura

 A Key Design resolveu subir um MVP ( mínimo produto viável) de assinatura que tinha duas opções, uma só com acessórios e outra com acessórios e vestuário. Quando realizaram esse teste, tinham a certeza que a maioria que iria assinar seria clientes antigos. Mas foram surpreendidos com 70% de novos clientes. 

Ao investigar o porquê de isso ter acontecido, descobriram que o que agregou valor na assinatura para as pessoas, foi a possibilidade de ter uma consultoria de look e não só os produtos em si. Era um valor mais relacional e menos comercial. Sendo assim, com esse MVP, eles perceberam a importância de oferecer conteúdo de valor para as pessoas, que vão além de falar do produto em si.

3- Como usam os influenciadores 

A ideia de usar influenciadores surgiu da necessidade de diminuir a dependência do Facebook Ads e do Google Ads. A marca Key Design começou a enxergar os influenciadores como uma excelente alternativa. Isso porque eles representam um menor custo de aquisição de clientes a médio e longo prazo, quando comparado as outras mídias.

Esse trabalho de parceria, muitas vezes, vai além do post na rede social. Isso porque a marca sempre está em busca de parcerias que façam parte do processo criativo de produção, chamando os influenciadores a serem co-criadores de uma linha exclusiva da Key Design.

Além disso, o podcast falou sobre:

–  Logística

– Omnichannel

Já conhecia esse ecommerce? O que você curtiu da operação? Coloque nos comentários!